domingo, 1 de agosto de 2010

Como atravessar a vida com a música vibrando dentro de si?

Muitas vezes pensamos que é impossível criar oportunidades para a nossa alma cantar.

Esse pensamento negativo nasce junto com a falta de fé em nossos sonhos. Esquecemos que para termos uma visão ampla e chegarmos aonde queremos, precisamos dar passos miúdos e muitos atos pequeninos, fiéis às nossas intenções para chegarmos ao que almejamos.

E para que sempre sejamos fiéis aos nossos sonhos e objetivos, não devemos nos esquecer de nos sentirmos vivos, e para isso precisamos criar!

"Quando criamos, a nossa mente e o nosso corpo geram o máximo de energia, ganham vitalidade e podem até curar-se."

Com isso, "nossa auto-estima sobe, nossa confiança se robustece, nossa capacidade aumenta, a vida se torna mais fácil e agradável".

Por isso, creio que devemos sempre alimentar a nossa alma com o que ela necessita. Nenhuma pessoa consegue ficar muito tempo sem comer, isso serve também para a nossa alma criativa, que pode morrer sem o alimento adequado. E muitas vezes esse alimento não é dado por falta de amor próprio, eu acredito que existem muitas pessoas com medo de serem felizes. E por que isso?

Porque "temem ficar deslocadas, perder amigos ou assumir responsabilidades. Inúmeras preocupações impedem-nas de procurar aquilo que não dá lucro. Iniciar um processo criativo é tarefa difícil, sem nenhuma garantia de sucesso no sentido clássico da prosperidade financeira ou da produção de obras-primas de arte".

Mas quem disse que as coisas são fáceis? Eu, na minha vida, não tive nada fácil, não mesmo! Tudo precisa de um tempo para amadurecer, e todos nós sabemos que para colher belos frutos, precisamos de paciência e dedicação. E já que sabemos que precisamos de algum tempo para ver os resultados, então porque não nos dedicamos ao que amamos de paixão? Algum retorno teremos, não é certo?

Não esqueçam:
"Sempre existe um público para a nossa arte, seja qual ela for. Descobrir o canal adequado à nossa expressão é ganhar ímpeto criativo, se não nos preocuparmos com o modo com que os outros escolheram para exprimir-se". Isso é fato! Ficar prestando muito atenção nos que os outros fazem, acaba nos fazendo perder muito tempo, e esse tempo é preciso para quem precisa criar para se sentir vivo.

Artista: "Alguém que insiste em expressar seu espírito criativo, revelando a vocação da própria alma por meios de paixões estéticas e tratamento autêntico da vida real. Alguém que não tem medo de partilhar com os semelhantes seu EU verdadeiro".

"Todos temos, no coração, uma chama que arde por alguma coisa. Nossa tarefa no mundo consiste em descobrir e alimentar essa chama".
(Mary Lou Retton - ginasta olímpica)

Bom... Eu decidi que quero essa chama ardendo dentro de mim, por isso estou disposta a caçar e a lutar por tudo o que possa ser o combustível para mantê-la acesa e viva. Você está fazendo isso? Se não está, me diga, você não sente meio vazia (o)? Há quanto tempo você não sente aquele calafrio positivo que te envolve o corpo inteiro?
Beijos à todas(os) que passam por aqui!
:o)



Referência: As nove musas dos tempos modernos (e seu guardião) - Jill Bandosky

Nenhum comentário: